Viagem experiencial

O que os americanos precisam fazer no Brasil, de acordo com os Celebrity Chefs de São Paulo

Quando os americanos ouvem a palavra "Brasil", eles imaginam as praias do Rio, as florestas tropicais e o Cristo Redentor. Eles provavelmente não pensam em visitar a selva de concreto de São Paulo - mas deveriam.

A maior cidade de todas as Américas (sim, é ainda maior do que Nova York) é um centro de negócios bem conhecido que a maioria dos turistas não vê. Mas São Paulo deve ser o primeiro lugar que você visita no Brasil - e provavelmente será em uma capacidade: como uma escala no enorme Aeroporto Internacional Guarulhous da megacidade, que é a porta de entrada para a maior parte da América do Sul. Se aventurar além do aeroporto para conhecer São Paulo, o coração pulsante do Brasil, é a melhor maneira de se apresentar às muitas culturas do Brasil.

São Paulo é conhecida por sua cena artística, vibrante vida noturna e, especialmente, por abrigar uma das mais diversas cenas gastronômicas do mundo. Do bem estabelecido bairro italiano, aos ingredientes locais como formigas amazônicas na estrela do chef Alex Atala, ao tradicional sushi japonês no bairro da Liberdade (a maior comunidade japonesa fora da Ásia), o mundo culinário de São Paulo é cheio de surpresas. E lar de vários chefs famosos.

A taxa de câmbio de três para um do Brasil significa que os americanos podem experimentar o mais chique entretenimento e os restaurantes com estrelas Michelin por muito menos do que você esperaria. E, para começar, as novas eVisas brasileiras significam que entrar no país é agora apenas US $ 40, uma fração do preço anterior.

É difícil saber por onde começar em uma megacidade como São Paulo, mas quem conhece o território melhor do que um chef local premiado? Perguntei a dois dos chefs brasileiros mais conhecidos de São Paulo o que os americanos deveriam fazer com o recém-adquirido acesso econômico ao Brasil, começando por São Paulo.

Fotos: Chef Ivan Ralston por Gilberto Bronko, Chef Helena Rizzo por Roberto Seba

A chef Helena Rizzo foi nomeada a melhor chef feminina do mundo em 2014, e é a mente por trás da Mani, que ocupa o quinto lugar entre os 50 melhores restaurantes da América Latina. O Chef Ivan Ralston está por trás do restaurante Tuju, com duas estrelas Michelin, que eu escrevi sobre comer por menos que o preço de um restaurante americano abaixo da média aqui. Aqui está o nosso Q e A:

Os americanos agora têm acesso mais fácil ao Brasil graças ao eVisas que começou este ano: Quais são algumas das coisas que você acha que os americanos que visitam São Paulo pela primeira vez devem fazer absolutamente?

Alf Riberio / Shutterstock

RH: Existem alguns bairros que eu gosto: a Liberdade, onde você pode encontrar a comunidade japonesa. O museu Pinacoteca, instalado em um incrível prédio projetado pela arquiteta italiana Lina Bo Bardi. A artística Vila Madalena e os bairros de Pinheiros, onde você pode encontrar alguns dos melhores restaurantes da cidade. O Mercado Municipal é o maior mercado de alimentos de São Paulo, muito tradicional.

RI: São Paulo é uma cidade multicultural com muitas atrações. Não é um turismo óbvio. Não há Estátua da Liberdade ou Cristo Redentor, mas São Paulo é absolutamente fascinante por sua riqueza cultural. Americanos e outros turistas devem visitar restaurantes tradicionais como Mocotó, Casa do Porco e Tordesilhas. Eles também devem conhecer restaurantes inspirados na gastronomia imigrante como o italiano em Osteria del Pettirosso, o tradicional japonês em Kan Suke e Ryo, o coreano em Komah e o Oriente Médio em Saite Marie. Nossa cidade tem alguns dos melhores restaurantes casuais do mundo também, como Tan Tan Noodle Bar, Capivara e Da Marino. E há, claro, restaurantes gastronômicos sofisticados como Mani, Picchi, D.O. e Tuju.

Q: Quais pratos brasileiros os americanos precisam comer em São Paulo e onde?

HR: O cardápio de degustação da D.O.M., para os pioneiros ingredientes brasileiros de Alex Atala; pratos tradicionais da parte norte do Brasil no Mocoto de Rodrigo Oliveira. Em Tordesilhas, a chef Mara Salles é uma veterana e uma das nossas maiores chefs, e apresenta pratos tradicionais de várias regiões brasileiras, como a Amazônia; tente por favor tacaca, um tipo muito tradicional de sopa do estado do Pará. Na Casa do Porco, Jefferson Rueda mostra tudo o que é carne de porco, do nariz à cauda, ​​tanto nos pratos tradicionais como nos originais. O Izakaya Matsu, um bar japonês com comida caseira de alto nível, é onde eu amo comer tonkatsu e tempura.

IR: A oferta de pratos e restaurantes em São Paulo é enorme e está em constante evolução. Cada um dos lugares que mencionei tem pratos muito especiais: a tapioca de Mocoto, todo o porco assado de San Ze na Casa do Porco, cacio e pepe na Osteria del Pettirosso e menus de degustação em qualquer restaurante gastronômico.

Qual é a melhor viagem de um dia saindo de São Paulo e por quê?

Praia de CamburiCosta Rodrigues

RH: Sempre que posso, visito as praias da Costa Norte de São Paulo (a três horas de carro). É a combinação perfeita de mar e montanhas com uma floresta exuberante. Há também uma grande variedade de cama e café da manhã e restaurantes na área.

IR: Uma praia chamada Camburi. É uma viagem de duas horas de São Paulo e é tão bonita quanto as praias do Vietnã.

Qual é o seu ingrediente brasileiro favorito para cozinhar?

Captura do dia de Mani, preto-tucupi-lacadoRoberto Seba

RH: Meu ingrediente favorito é mandioca, ou mandioca, e é daí que vem o nome Mani. A mandioca é um ingrediente muito popular no Brasil, comido com alegria pelos ricos e pobres. É uma raiz tuberosa consumida tanto em seu estado natural quanto em diferentes produtos, como farinha de mandioca, amido de tapioca e tucupi (molho fermentado de raiz de mandioca). Há tantas maneiras diferentes de usá-lo: frito, assado, cozido, envidraçado, como agente espessante em guisados ​​e sopas. Aqui na Mani nós servimos diferentes tipos de farofa (farinha de mandioca assada e refogada) como acompanhamentos; usamos amido de tapioca em nossa cesta de pães; temos o tucupi como base de vários molhos e pratos; e cozinhe a própria mandioca em guisados, purês, gratinados, nhoque e muito mais.

IR: É difícil dizer, são tantos! Vou mencionar um por temporada: Tomate no verão, cogumelos de Santa Catarina no outono, mariscos brancos no inverno e jabuticaba (Uva brasileira) na primavera.

Qual é a sua coisa favorita em São Paulo como local?

HR: Assistir a shows em locais íntimos, como os pontos que mencionei acima.

IR: Comendo, com certeza! São Paulo tem a melhor gastronomia do mundo com menos ostentação do que outros lugares.

Qual é o seu restaurante favorito em São Paulo para comer?

HR: É difícil escolher um favorito. Hoje em dia eu vou muito ao Izakaya Matsu, porque eu amo comida japonesa e fica perto da minha casa - com uma criança de três anos em casa que é um bônus! E também não é um lugar caro.

IR: Kan Suke, tradicional restaurante japonês próximo à Avenida Paulista. É realmente um pequeno sushi bar com apenas seis lugares disponíveis.

Qual é a melhor cozinha internacional (não brasileira) para comer em São Paulo?

HR: Eu diria japonês. São Paulo é conhecido por ter ótimos lugares de sushi e também por ter um bom conforto nas articulações de comida japonesa, administradas por famílias. O Brasil tem a maior comunidade japonesa fora do Japão, então é uma cultura alimentar muito tradicional aqui.

IR: Existem tantas cozinhas internacionais - essa é a vantagem de estar em São Paulo. Temos ótimos lugares para comida japonesa, italiana, coreana e árabe.

Se você tivesse que escolher entre comida italiana em São Paulo ou comida japonesa em São Paulo, qual você diria que prefere?

HR: Japonês, embora eu venha de uma família italiana e no final do dia, quando eu chego em casa para um dia duro no restaurante, tudo que eu quero é um simples macarrão com molho de tomate.

IR: Depende do dia. Eles são muito diferentes.

Qual é a melhor cidade do Brasil para passar um tempo depois de ver São Paulo e por quê?

HR: Estive recentemente no Pantanal, no estado do Mato Grosso do Sul, que é um dos poucos lugares no Brasil onde você pode encontrar o ecossistema ainda intacto. É um lugar incrível para estar em contato com a natureza crua, para ver tantos pássaros, jacarés e outros animais selvagens, e também experimentar grandes peixes como pacu (piranhas) e piraputanga.

IR: Depende do que você está procurando, mas eu diria que a resposta óbvia é o Rio de Janeiro.

Shannon McMahon, editor do SmarterTravel, visitou São Paulo como convidadoCompanhias Aéreas LATAM eEmbratur, O conselho de turismo do Brasil. Siga-a no Instagram:@shanmcmahon.